Fazendo as pazes com o canteiro de obras

Que atire o primeiro tijolo quem nunca se aventurou numa obra, uma reforminha que seja.

Que atire o primeiro tijolo quem nunca se aventurou numa obra, uma reforminha que seja. E que atire a primeira colher de pedreiro quem nunca teve dor de cabeça durante a empreitada. Normalmente elas fogem do orçamento, demoram demais e quando finalmente terminam, não ficam do jeito que você queria. Mas será que encarar o canteiro de obras precisa ser uma experiência assim tão frustrante? É claro que não. O segredo do sucesso está no planejamento.

É mais ou menos o que acontece quando você vai ao supermercado, com pressa, sem uma lista definida e sem noção nenhuma de preço. Não é raro terminar com um carrinho cheio de guloseimas caras, pouco saudáveis e sem os ingredientes essenciais para o almoço do dia seguinte. Com planejamento, você compra somente o necessário, consegue melhores preços e ainda sobra tempo para fazer as unhas ou passar na academia.

Escolha do profissional
A primeira tarefa é escolher o profissional. O arquiteto deve ser de confiança, perceber a personalidade do cliente e conhecer a realidade financeira dele. Procure referências com vizinhos, amigos e até desconhecidos que estejam construindo. O profissional não deve impor nada, mas precisa ter capacidade para orientar o cliente sobre as melhores decisões a serem tomadas.

Aliar essa escolha ao custo do serviço também é importante. Há várias formas de cobrar pelo projeto, seja de construção ou reforma. A mais comum é a cobrança por metro quadrado. Dependendo da região do país e do profissional, o custo pode variar entre R$ 30 e R$ 70 (o m²). O valor não inclui custo de acompanhamento e gerenciamento da obra.

Cronograma e cálculo de gastos
Com um projeto bem formulado, é possível montar um cronograma e calcular gastos. Dependendo do padrão da construção, o custo do metro quadrado pode variar. Em agosto de 2014, por exemplo, o CUB/m² (Custo Unitário Básico) no Rio de Janeiro estava variando entre R$ 1.024 a R$ 1.708. Os dados são divulgados mensalmente pelo Sinduscon (Sindicato das Indústrias da Construção Civil).

É claro que uma obra é composta por uma sequência de eventos. Fatores como mau tempo e falta de pessoal podem atrapalhar. Um projeto bem gerenciado, no entanto, mantém a margem de variação de tempo e custo em cerca de 10%.

Gerenciamento
A presença de um gerenciador pode fazer toda a diferença. Além de auxiliar na escolha do material, apontando o melhor custo benefício, o profissional ainda deve calcular a quantidade necessária em cada fase, evitando desperdício. A logística do canteiro de obras também é importante para evitar acúmulo de entulho. E a fiscalização da equipe é primordial.

Seguindo essas recomendações, já dá até para pensar com mais animação na reforma da cozinha ou no conserto do telhado. Sem economizar no planejamento, a única preocupação que você vai ter é com a lista de compras para a festa de inauguração da nova área.

Por: Bianca Schvarstman

© 2013 Solução Casa | Todos os direitos reservados.